segunda-feira, 9 de julho de 2007

Eu enxergo o que você sente.
Mas você responde com a boca: não.
Sua boca diz que não. Mas quando não diz nada.
Me beija: sim.
Depois do beijo olho de novo.
Em seus olhos.
E vejo: sim
Seus olhos dizem sim
Você retira a mão do meu rosto
E pede perdão: não
Me beija de novo
Como quem suplica
Um silencio que diz sim
Te abraço então
Agora é teu corpo
Quem diz: não
Teu corpo diz que não
Você pede que eu volte
E nessas idas e vindas o amor enfraquece
Até o fim


...volta estranha...

Um comentário:

Laine. disse...

enfraquece nada.

eu ainda te amo, feito doida!